Ciência

Fiat apresenta novo Uno 2017 com motor 1.0 três-cilindros

Fiat apresenta novo Uno 2017 com motor 1.0 três-cilindros”

O Fiat Uno, que briga no mercado brasileiro com o Gol e outros populares, chega à linha 2017 prometendo renovação tecnológica. O modelo ganhou apenas uma nova grade, que dá adeus àqueles três quadradinhos simpáticos, e para-choque dianteiro.

Apenas dois anos após a última reestilização, o Fiat Uno mudou novamente.

Os novos motores Firefly 1.0 e 1.3 possuem construção modular e são uma nova gama global da Fiat.

O novo motor 1.0 de três cilindros tem potências de 72cv a 6.000rpm (com gasolina) e 77cv a 6.250rpm (com etanol) e torques de 10,4kgfm (g) e 10,9kgfm (e), ambos a 3.250rpm. Além de ser uma opção menos custosa à fábrica do que uma multiválvulas com dois comandos, a companhia diz que duas válvulas por cilindro contribuem para o propulsor tenha mais torque em baixas rotações. A taxa é mais alta do que a de qualquer outro concorrente 1.0 no país e ajuda a aumentar o aproveitamento da queima de combustível. Neste momento, o comando de válvulas variável (cujos balancins são roletados, para diminuir atrito) atrasa o fechamento e a abertura das válvulas para permitir que haja a recirculação dos gases de exaustão nos cilindros (os gases que deveriam ser expelidos, retornam à câmara de combustão no fase de admissão e compressão), empobrecendo a mistura ar-combustível para reduzir as emissões de óxido e dióxido de nitrogênio, consequentemente, diminuindo o consumo de combustível.

Outras diversos fatores complementam os ganhos de eficiência do Uno.

A direção agora tem assistência elétrica de série.

O consumo com etanol seria de 9,17 km/l (urbano) e 10,14 km/l (rodoviário); com gasolina, as marcas seriam de 12,89 km/l (urbano) e 14,05 km/l (etanol). Para isso, a Fiat teve de impedir o deslocamento vertical do funcionamento do motor e utilizar coxins maiores, reforçados, para atenuar o movimento transversal do bloco.

Em 2014, o compacto foi o responsável pela introdução do primeiro sistema start-stop em veículos nacionais de porte pequeno, tecnologia que agora se estende para todas as versões 1.3. Na verdade, ele é, literalmente, o mesmo motor, mas com um cilindro a mais. A potência máxima, no entanto, é de 72 cv ou 77 cv, respectivamente.

Com o motor 1.3, o 0 a 100 km/h é cumprido em 10,6 segundos com gasolina e 9,8 segundos com etanol.

Inéditos, os novos motores Firefly foram desenvolvidos localmente mas são considerados globais. Além disso, o hatch recebe ligeiras mudanças visuais e novos equipamentos de conforto e segurança, como direção elétrica (de série em todas as versões) e controle de estabilidade (de série nas 1.3 Dualogic e opcional nas demais). O mesmo serve para o assistente de partida em rampa (hill holder).

De série, a versão de entrada oferece ar condicionado, direção elétrica com função City, brake light + sinalização de frenagem de emergência, faróis de neblina, função Lane Change para auxiliar o comando de seta, computador de bordo, vidros elétricos dianteiros com one touch e antiesmagamento, trava elétrica nas portas com acionamento automático a 20 km/h e volante com comandos do computador de bordo.

Ao todo, seis versões, todas em carroceria 4 portas: Attractive 1.0 Flex, Way 1.0 Flex, Way 1.3 Flex, Sporting 1.3 Flex, Way 1.3 Flex Dualogic e Sporting 1.3 Flex Dualogic.

Itens de série: iguais ao Way 1.3, mais câmbio automatizado Dualogic, auxílio de partida em rampas e controles de tração e estabilidade.

Uno Sporting 1.3 - R$ 49.340: (idem versão Way 1.3).

Para a versão de entrada Attractive são três opções de cores sólidas - vermelho "Alpine", branco "Banchisa" e preto "Vulcano" -, quatro metálicas - vermelho "Oppulence", prata "Bari", cinza "Scandium" e preto "Vesúvio" - e uma perolizada - branco "Alaska". "O posicionamento de preços deles é diferente, assim como suas propostas", explica. Resta saber se isso acontecerá ainda este ano ou se ficará para o ano que vem.



Somo este

Más reciente




Rekomendado