Local

Voto de Dilma em Porto Alegre é marcado por tumulto

No momento em que ela falava com alguns jornalistas que conseguiram acessar o saguão, houve um confronto entre a Brigada Militar e os repórteres que ainda tentavam acesso. Para impedir que jornalistas acompanhassem o voto de Dilma, os policiais reagiram com violência.

Na saída, a petista disse que protestou contra a ação policial e afirmou que foi alvo de empurrões. Eu sempre votei aqui, nunca aconteceu isso.

A ex-presidente Dilma Rousseff votou em Porto Alegre na tarde deste domingo (2) na Escola Santos Dumont, na Vila Assunção, Zona Sul.

Na chegada, Dilma foi recebida com flores vermelhas. "Inclusive quebraram a porta do colégio, imagina se tivessem entrado?", argumentou o juiz eleitoral Nilton Carpes da Silva, que tomou a decisão de impedir a entrada na hora da votação de Dilma. O único que conseguiu acompanhar o voto de Dilma foi Raul Pont, por ser candidato. Os jornalistas passaram pelo primeiro portão de acesso, mas foram barrados numa segunda porta de vidro que dá entrada à escola. A ex-presidente disse que o gesto se repete por parte das mulheres: "Sempre me dão flores porque quando eu estava no Palácio da Alvorada proibiram as flores", disse a ex-presidente. "Há que ter orgulho de ser cidadã ou cidadão nesse país", disse Dilma. A candidata a vice, Silvana Conti, alega que foi agredida por um PM na confusão com um chute no joelho e se dirigiu a uma delegacia de Polícia para registrar Boletim de Ocorrência. Rossetto informou que vai entrar com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por cerceamento de informação. Na confusão, o deputado federal Henrique Fontana (PT-RS) também quase foi impedido de entrar no local.

Dilma lamentou o ocorrido e criticou a proibição, dizendo que isso é antidemocrático e ressaltou que a democracia brasileira nunca esteve tão fragilizada como está agora.

Ela saiu por uma porta lateral do prédio, onde um carro a esperava. O acesso ao local foi liberado pelos policiais assim que a ex-presidente deixou a escola.



Somo este

Más reciente




Rekomendado