Esportes

Hélio Neto continua em estado muito crítico — Tragédia da Chapecoense

Hélio Neto continua em estado muito crítico — Tragédia da Chapecoense”

"O Neto segue em situação muito crítica, sob sedação".

Edson Stakonski, médico intensivista, foi de Chapecó para a Colômbia para acompanhar a recuperação dos sobreviventes e afirmou ter ficados surpreso com a recuperação do goleiro reserva do time, bem como do equilíbrio emocional de Follmann. Com relação ao zagueiro Neto e o repórter Rafael Henzel, permanecem estáveis. Ele tem uma infecção pulmonar grave, e a bactéria causadora dessa infecção, ainda não foi descoberta. O quadro de Alan foi definido como ainda crítico, mas com uma melhora que permitiu a retirada da ventilação pulmonar e da sedação. Na ocasião, o boletim informou que o zagueiro era o único que continua entubado. "Todos apresentam politraumatismos, todos têm condições delicadas, precisando de acompanhamento rígido", afirmou. Por isso precisamos ter cautela - disse Stakonski.

Os outros dois sobreviventes ainda inspiram muitos cuidados, são quadros mais delicados.

O lateral-esquerdo Alan Ruschel e o jornalista Rafael Henzel poderão sair do leito pela primeira vez na tarde desta segunda-feira (05 de dezembro). Está desinchando, está respirando sem ajuda de aparelhos, retiraram essa madrugada, já está comendo sem ajuda de sonda e depois de muitos dias de angústia, consegui ouvir a voz dele novamente. Os três estão quase se sentando, é uma grande evolução - declarou o médico. Foi um politrauma de uma energia cinética absurda, 71 pessoas perderam a vida. "Não houve uma melhora como a gente esperava que pudesse ter acontecido, ele segue estável, mas o caso é grave". "Dá para dizer que é uma evolução fantástica", avaliou Stakonski.

- Tirá-los da cama é uma evolução bastante importante. Estamos cuidando do processo infeccioso. Alan Ruschel evolui da cirurgia na coluna e Rafael Henzel está consciente, mas não será submetido a operação nas fraturas da costela.

- Hoje ou amanhã vamos fazer uma limpeza das feridas do Jackson. "Isso ajuda muito a parte pulmonar, então sem dúvida é um avanço bem expressivo", disse Marcos Sognali, ortopedista da Chapecoense.



Somo este

Más reciente




Rekomendado