Mundo

Atentados matam pelo menos 22 pessoas em igrejas do Egito

Atentados matam pelo menos 22 pessoas em igrejas do Egito”

O braço egípcio do Estado Islâmico também reivindicou a autoria daquele atentado.

Ao menos 21 pessoas morreram e 59 ficaram feridas neste domingo em um atentado com bomba em uma igreja copta da cidade de Tanta, 120 km ao norte do Cairo, segundo o ministério da Saúde. O comandante das forças de segurança que estava no local foi morto ao tentar evitar que um homem-bomba se explodisse.

No início do dia, uma explosão atingiu uma igreja em Tanta.

Imagens divulgadas pela rede de televisão privada Extra News mostravam o chão e as paredes brancas da igreja cobertos de sangue, assim como bancos de madeira destruídos.

Mar Girgis é o nome dado no Egito a São Jorge.

Em Fevereiro, o Daesh ameaçou lançar mais ataques contra coptas, que são cerca de 10% dos 82 milhões de egípcios. Desde 2013, as perseguições contra os coptas aumentaram, devido os militares tomarem o poder do país e derrubarem o presidente Mohamed Morsi, da Irmandade Muçulmana. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker. No dia 11 de dezembro, 28 fiéis da minoria cristã copta morreram em um atentado cometido por um suicida contra uma igreja situada próxima da catedral do Cairo, no bairro de Abbassiya. Desde fevereiro, muitas famílias cristãs vêm abandonando a província do Sinai após que os jihadistas começaram uma série de assassinatos. De acordo com as autoridades, uma bomba foi deixada no local e equipes de especialistas verificaram o local para ver se mais alguma bomba havia sido plantada na igreja.

Seu governo, substituindo o islamita Mursi, se baseia em parte em sua habilidade de estabilizar esse país, que passa ademais por uma grave crise econômica.

Adel Sidarus, professor egípcio na Universidade de Évora, considera que estes ataques aos cristãos coptas podem "pôr em causa a visita do Papa Francisco" ao Egipto no final do mês de Abril.

O papa afirmou, em missa no Vaticano, que "reza pelos mortos" do ataque.

"Poucas horas depois do primeiro ataque desta manhã, o Papa Francisco condenou o atentado e pediu que "[Deus] converta o coração das pessoas que semeiam o terror, a violência e a morte". Foram três casos em 2011, durante a revolução que derrubou o então ditador Hosni Mubarak.



Somo este

Más reciente




Rekomendado